9 de abril de 2006


Charles Baudelaire (1821-1867)


Embriaga-te

Devemos andar sempre bêbados.
Tudo se resume nisto: é a única solução.
Para não sentires o tremendo fardo do Tempo que te despedaça os ombros e te verga para a terra, deves embriagar-te sem cessar.
Mas com quê?
Com vinho, com poesia ou com a virtude, a teu gosto.
Mas embriaga-te.
E se alguma vez, nos degraus de um palácio, sobre as verdes ervas duma vala, na solidão morna do teu quarto, tu acordares com a embriaguez já atenuada ou desaparecida, pergunta ao vento, à onda, à estrela, à ave, ao relógio, a tudo o que se passou, a tudo o que gemeu, a tudo o que gira, a tudo o que canta, a tudo o que fala, pergunta-lhes que horas são:
"São horas de te embriagares!"
Para não seres como os escravos martirizados do Tempo,
embriaga-te, embriaga-te sem cessar!
Com vinho, com poesia, ou com a virtude, a teu gosto.

Charles Baudelaire

.


2 comentários:

biga disse...

Olá amiga! Sempre a surpreender-me e a ensinar-me...pois é...chego aqui e vejo um grande escritor que nasceu no mesmo dia que o meu filhote (9 de Abril)!!!Muito bem, obrigada por tudo o que tenho aprendido contigo...e és bem mais novinha que eu, imagina se o não fosses, o que eu não aprenderia?
Beijocas

Graça disse...

Não tens absolutamente que agradecer, as informações que aqui aparecem podias encontrá-las em muitos outros sítios,só me limito a partilhar alguns nomes que aprecio,uns novos, outros velhos amigos.
E, já agora, parabéns atrasados ao J. e à sua mamã e espero que ele seja tão famoso como Baudelaire, mas sofrendo menos e vivendo bem mais.

"Novinha" diz ela... nós somos da mesma geração! Vimos ambas a Heidi e o Marco e o Tom Sawyer, usámos os mesmos cortes de cabelo e as mesmas calças à boca de sino e os ponchos e as socas (em tenra idade, naturalmente)... E aposto que esfolámos os joelhos na mesma altura...

Beijinhos!