20 de maio de 2006


Maria Teresa Horta (1937)


Poema sobre a recusa

Como é possível perder-te
sem nunca te ter achado
nem na polpa dos meus dedos
se ter formado o afago
sem termos sido a cidade
nem termos rasgado pedras
sem descobrirmos a cor
nem o interior da erva.

Como é possível perder-te
sem nunca te ter achado
minha raiva de ternura
meu ódio de conhecer-te
minha alegria profunda

Maria Teresa Horta

.

2 comentários:

Menina_marota disse...

Uma GRANDE Poetisa.
Bj ;)

Graça disse...

Obrigada pela visita e pelos comentários. É uma honra receber uma nascida a 30 de Julho!

Beijinho!