9 de julho de 2006

Hurt

I hurt myself today
To see if I still feel
I focus on the pain
The only thing that's real
The needle tears a hole
The old familiar sting
Try to kill it all away
But I remember everything

What have I become
My sweetest friend
Everyone I know
goes away in the end
And you could have it all
My empire of dirt
I will let you down
I will make you hurt

I wear this crown of thorns
Upon my liar's chair
Full of broken thoughts
I cannot repair
Beneath the stains of time
The feelings disappear
You are someone else
I am still right here

What have I become
My sweetest friend
Everyone I know
Goes away in the end
And you could have it all
My empire of dirt
I will let you down
I will make you hurt

If I could start again
A million miles away
I would keep myself
I would find a way

Michael Trent Reznor



4 comentários:

ogatoqueri disse...

Na letra original crown of shit. Devo dizer que prefiro esta versão mais beata, mas isso dever-se-á à minha educação católica...
Em www.johnnycash.com/ pode ouvir-se uma excelente versão(incluída em American IV: The Man Comes Around, para quem não acha que o álbum morreu).

Graça disse...

Penso que o Michael Trent Reznor também tinha uma "clean version", com thorns em vez de shit e parece que foi essa versão que o Johnny Cash usou.Mas não garanto, a Wikipédia não é infalível.

Também prefiro os espinhos, tem mais a ver com as muitas sugestões atribuídas a esta letra (sofrimento, auto-mutilação, suicídio,fim/recomeço ...).Muito embora shit e dirt também traduzam a ideia de que tudo o que se tem não vale nada.

Obrigada pelo link, embora conheça o Hurt cantado pelo Cash. Aliás, há quem prefira só ouvi-lo, as pessoas sensíveis ficam impressionadas com a decrepitude do Johnny, mas as imagens dão ainda outros sentidos à canção: http://www.youtube.com/watch?v=BQECQOSBrPY

Obrigada pelo comentário, já começava a desesperar de ver isto em branco.

ogatoqueri disse...

Tem toda a razão (e a wikipédia também) sobre a versão clean, incluída em Further Down the Spiral (EP de 1995) e no disco 2 da edição especial de The Downward Spiral (2004).
E quem agradece sou eu (pelo post e pelo blog)

Graça disse...

:)