11 de setembro de 2007

Voz do Outono




Ouve tu,meu cansado coração;
O que te diz a voz da Natureza:
-" Mais te valera, nu e sem defesa,
Ter nascido em aspérrima solidão,

Ter gemido, ainda infante, sobre o chão
Frio e cruel da mais cruel devesa,
Do que embalar-te a Fada da Beleza,
Como embalou, no berço da Ilusão!

Mais valera à tua alma visionária
Silenciosa e triste ter passado
Por entre o mundo hostil e a turba vária,

(Sem ver uma só flor, das mil, que amaste)
Com ódio e raiva e dor... que ter sonhado
Os sonhos ideais que tu sonhaste" -

Antero de Quental, Sonetos

http://indispensaveis.blogspot.com/2005/09/11-de-setembro-de-1891-o-ltimo-passeio.html

1 comentário:

Cymbron disse...

Antero no regresso. Aqui a foto se pudesse mudava, tenho uma tirada na árvore do nosso costume em tempos do poeta edificio... anos de ouro, memorias para sempre.
Eles agora são diferentes, mas não acho que se deva comparar.
Jinhos e bom ano.