23 de março de 2005

Escrevo algumas palavras. Quase sempre as mesmas.
Certa de que podes estar em cada uma delas: melodia, rua, talvez, regresso.
Ergo-te do silêncio, sílaba a sílaba, como se os sons falassem.
Como se escutasses.
Como se não soubesse que nunca ouvirias sorriso, poema, manhã, Amor.
Como se não fossem um sussurro que finges perceber
Delicadamente.

4 comentários:

Pele disse...

...
Bonitas palavras. Carregadas de outras tantas implícitas, ou muito me engano?!
Fique bem.

Graça disse...

Elementar, minha cara Watson... As palavras mais autênticas são sempre as implícitas...

Pele disse...

:D Pois...
Feliz Páscoa! (Pelo menos uma fora da cama, como vai ser a minha)

Graça disse...

Muito obrigada.Para ti também.